ONG brasileira participa de evento internacional sobre realização de sonhos de pacientes terminais


E se sua vida estivesse por um “fio”? Qual seria, o que poderia ser, seu último sonho? O Instituto Rope, idealizado pelo professor e administrador, Roberto Palmeira, em 2016, tem como único objetivo a realização de desejos de pacientes acometidos por doenças graves que ameacem suas vidas. O diretor de sonhos da ONG será o único representante brasileiro a participar de um evento que debate a iniciativa, neste sábado (26), em Roterdã.

O encontro reunirá integrantes de outras ONGs e instituições com o mesmo objetivo da Rope, de 14 países, para ajustar a união pela causa e criar estratégias para ações mundiais visando fomentar os sonhos das pessoas. Na reunião, também serão definidas linhas de pesquisas para compreender e mensurar o impacto da realização dos desejos em doentes que têm suas vidas ameaçadas por doenças graves.

De acordo com o diretor de sonhos da Rope, Roberto Palmeira, o encontro será uma oportunidade de debater o tema e pensar estratégias de como conseguir transformar, o que pode ser os últimos dias de vida de uma pessoa, em um momento de significação e de realização:

– Vamos conversar sobre os sonhos e desejos realizados na finitude dos seres humanos, para resgatar o que resta de vida!, resgatar a vida! É uma reunião muito importante, com pessoas influentes do cenário mundial – enfatizou Roberto.

O administrador citou a pesquisa do The Economist, de 2015, sobre a qualidade de morte nos países e o Brasil ficou em 42º colocado num ranking de 80 países:

– O Brasil está muito mau colocado no que se refere a qualidade de morte. Aqui, existe a cultura de preparação para o nascimento: enxoval, preparação do quarto do bebê etc, mas não existe para a morte. É o que chamamos de cuidados paliativos, para que a pessoa seja atendida nesse momento delicado: controle dos sintomas da doença, evitar dores, falta de ar, etc. E a realização dos desejos vai ao encontro dessa qualidade. Eu brinco que ninguém nunca me pediu um carro importado, pedem para visitar um lugar especial, conhecer um ídolo, entre outros sonhos especiais e com significado – pontuou Roberto.

O trabalho do Instituto Rope foi inspirado no Stichting Ambulance Wens (SAW), dos Países Baixos, que é um grupo de voluntários com treinamento médico que atende diariamente aos desejos de pacientes terminais imóveis (pessoas que dependem de transporte de ambulância) com ambulâncias especialmente desenvolvidas para este fim. Já foram realizados mais de 13 mil desejos.

No Brasil, o Instituto Rope já ajudou, aproximadamente, 60 pessoas a realizarem seus sonhos ou colocarem em prática projetos de vida inacabados. Mais de 900 pessoas já foram impactadas diretamente com as ações, que são os que, de alguma forma, estão envolvidas com a realização do desejo. Os desejos São os mais variados, desde conhecer a rádio que escuta diariamente, voar de helicóptero em volta do Cristo Redentor, dançar, cantar e até editar um livro. Formalizado como associação (ONG), o instituto possui cerca de 50 voluntários e tem investido em ações no Rio de Janeiro, onde é localizado, e em todo o território nacional.

Para esta missão, o Instituto Rope conta com parcerias firmadas com instituições de representatividade como o INCA; Instituto de Longevidade Mongeral Aegon; os hospitais da Lagoa, dos Servidores do Estado, Universitário Gaffrè Guinle, Universitário Pedro Ernesto; Lar de Frei Luís, Fiosaúde, I2H – Innovation to Health e Clínica RenalVida.

Conheça a Instituição e se torne um voluntário ajudando a realizar sonhos: http://www.institutorope.com.br


Sobre o autor

Rodrigo Oliver